terça-feira, 27 de novembro de 2007

4º dia - Nª Sra. del Rocio - Matalascañas - Parque Natural da Doñana






























Depois de termos deixado o castelo encantado resolvemos fazer a viagem pelo interior e não pela costa. Assim, passamos por
Los Barrios, por Medina-Sidonia e, durante todo o percurso fiquei pasma com a quantidade de Sobreiros ou Alcornoques, como lhes chamam os espanhóis, que encontramos pelo caminho.
Chegámos a Nossa Senhora del Rocio (1ªfoto). Nª Sra. del Rocio é uma pequena aldeia que cresceu em torno de uma ermida que foi construída no final do séc. XIII em virtude de uma promessa que D.Afonso X fez em 1280.
A aldeia estava praticamente deserta e, só na grande Romaria que acontece na altura do Pentecostes é que se enche de vida com mais de um milhão de pessoas e mais de uma centena de irmandades quando tem lugar a peregrinação
Outra festa que se realiza em Nª Sraª del Rocio acontece nos dias 18 e 19 de Agosto- Rocio Chico- e começou em 1812 e assinala a graça feita ao povo de Almonte , poupada à senha destruidora das forças napoleónicas durante as Invasões Francesas, e consiste no transporte da imagem da virgem por caminhos rurais, às costas dos homens durante a noite, à luz de fogueiras.
Na 2ª foto podemos ver os cavalos selvagens que pastam nas marismas em perfeita comunhão com os flamingos cor-de-rosa (que por acaso não se vêem nesta foto).
Deixando este lugar soalheiro para trás fomos até Matalascañas que fica apenas uns quilómetros mais à frente e depois de nos termos instalado fomos-nos embrenhar no Parque Natural de Doñana.
Na 3ª e 4ª foto estamos em pleno Parque Natural da Doñana , que é uma das maiores zonas de terras húmidas da Europa. O parque cobre uma área superior a 75 mil hectares de pântanos e dunas de areia. É ainda possível observar pequenos animais selvagens, nomeadamente o Lirón(?), o Zorro, Coelhos, Víboras, o Lince, a Águia Imperial (estes dois últimos em vias de extinção) que encontram neste parque abrigo.
Nesta altura do ano Matalascañas está deserta e consequentemente não encontrámos um único restaurante aberto, assim, dissémos adeus à mariscada que estava pensada e comemos no restaurante do hotel mesmo :-((