terça-feira, 10 de abril de 2007

Uma gaivota

Ás vezes queria ser uma gaivota para poder voar, para poder sair daqui e sair de mim...
Queria poder ausentar-me, queria poder sentir-me livre...
Livre de mim e de tudo o que me prende...
Ás vezes queria ser uma gaivota, para ser apenas gaivota, para não ter que ser nem mais nem menos que uma gaivota branca e cinzenta que voa
dolentemente sobre a baía...
Uma gaivota apenas...
Não ter que ser isto ou aquilo...
Para não ter que ser pessoa...
Ser gaivota é ser livre...
É ver o mundo lá de cima é estar mais próximo do azul do céu e do azul do mar...
Ser gaivota e não ter que pensar no amanhã...

4 + 5 comentários para parecerem muitos:

Arion disse...

Gostei mesmo! Muito! beijo!

Lilith disse...

ARION: Obrigada por teres gostado, às vezes precisamos apenas de ouvir isso, um "Gostei".

kuka disse...

É muito poético Lilith.
Embora eu ache que as gaivotas não se sentem assim, tão livres e despreocupadas.

Lilith disse...

KUKA: Achas realmente que não? Eu acho que sim, elas limitam-se a ser gaivotas, nós temos que ser, cozinheiro, sapateiro, padeiro, professor, etc